Home / cuidados especiais / Solteiros também podem adotar?

Solteiros também podem adotar?

 Solteiros também podem adotar?

 

O processo de adoção tem ganhado destaque nos últimos anos. Atualmente, no Brasil, vale destacar, existem mais pretendentes para adotar do que crianças disponíveis para serem adotadas.

São muitas as dúvidas que giram em torno do tema. Muitas pessoas têm dúvidas sobre quem pode adotar, qual o procedimento para se inscrever entre outros. Entre os muitos questionamentos a cerca da adoção, uma pergunta sempre se mostra presente: Solteiros também podem adotar?

Fugindo a regra da família tradicional – formada por pai, mãe e filhos – hoje em dia o processo de adoção está muito mais flexível. Desde que o pretendente consiga assegurar a qualidade de vida da criança, as boas condições não só financeiras, mas também de afeto, é possível se inscrever.

E se você quer entender melhor o assunto e tirar dúvidas sobre a adoção de crianças por parte de solteiros – tanto de mulheres quanto de homens – continue lendo este artigo e saiba mais sobre o assunto!

Adoção e solteiros: Uma combinação com ótimos resultados!

Primeiramente é importante dizer que sim, os solteiros também podem dar início ao processo de adoção sem qualquer distinção ou problema desde que existam condições para receber a criança segundo a vara da infância.

Tanto os homens quanto mulheres podem entrar com o pedido e outro ponto que pode ser destacado aqui é que a orientação sexual do pretendente também não influência em sua inscrição, tão pouco em sua autorização para conquistar a documentação necessária para adotar.

Aliás, atualmente os solteiros são um grande peso no total de pessoas interessadas em adotar. Para as mulheres, o principal motivo pode ser que os anos tenham passado sem a oportunidade ideal para se engravidar. Para os homens, a homossexualidade é um dos grandes estímulos para a adoção.

Não importam os motivos pessoais de cada um. O importante é apontar aqui que sim, os solteiros podem adotar e são muito bem-vindos pelo sistema que visa garantir a oportunidade de cada criança encontrar uma família, seja uma de uma, duas, três ou dez pessoas.

O processo da adoção

Seja o interessado solteiro, casado, divorciado ou viúvo, o processo da adoção é o mesmo e como bem se sabe, ele exige paciência, amor e dedicação.

Adotar, infelizmente ainda é um processo burocrático dentro do território brasileiro e há pessoas que passam anos em busca de ter a chance de encontrar uma criança para chamar de seu filho.

Aliás, para as crianças o processo é ainda mais traumático uma vez que conforme o tempo passa diminuem-se as chances de ser adotado podendo criar traumas desde cedo e que poderão reaparecer no futuro em formato de transtornos e problemas psicológicos.

O governo, evidentemente, tem muito a melhorar ainda, porém hoje em dia o processo já está um pouco mais rápido e, como já mencionado, mais flexível. A intenção é zerar o número de crianças esperando por um lar.

Há que se destacar ainda que muitas crianças que estão nos abrigos, lares e orfanatos não estão disponíveis para serem adotadas. No geral essas crianças estão apenas sobre a custódia do governo por motivos diversos. Isso é o que mais sobrecarrega hoje o sistema nacional que cuida das crianças no Brasil.

adoção

Passo a passo para fazer uma adoção

Está interessado em se inscrever para fazer uma adoção? Veja a seguir qual é o passo a passo para conquistar a sua oportunidade de ter uma família:

  • Encaixar-se no perfil exigido

Homens e mulheres podem adotar sendo motivos de impasse: Ter uma diferença menor de 16 anos entre o pretendente de adoção e o adotado ou ainda ser avós ou irmãos legítimos da criança;

  • Ir ao fórum da região

O primeiro passo de fato para fazer a inscrição para adotar uma criança é ir até o fórum munido de sua documentação pessoal e comprovante de residência para dar início ao processo.

  • Apresentar toda a documentação

Você receberá uma lista em que estão indicados todos os documentos necessários para dar continuidade ao processo de inscrição como pretendente de adoção. Entre os documentos mais complicados está um “estudo social devidamente elaborado por um técnico do juizado de infância e juventude.

  • Análise da documentação

Após entregar tudo o que foi solicitado no passo anterior, é necessário esperar pela análise e resposta da vara da infância.

  • Entrevista pessoal

Passando pela análise de documentos, é hora de o pretendente passar por uma entrevista em que serão questionados os motivos e também as expectativas referentes à adoção. Essa entrevista é feita por profissional que determinará se a pessoa tem ou não condições de seguir com o processo.

  • Realização de um curso

Os pretendentes devem realizar um curso que totaliza 10 horas para continuar.

  • Habilitação no cadastro

Depois de passar por essas etapas, enfim o pretendente estará inscrito e habilitado para a adoção de uma criança.

  • Encontrar a criança e adotar

A fase mais importante, é o momento em que o pretendente procura por aquele que possa ser o filho. Um encontro entre as partes poderá decidir o futuro de ambos. Depois desse encontro e ajuste, a adoção se oficializa.

Para saber mais sobre como funciona e o que precisa para cadastrar-se para adotar uma criança, Acesse o link Abaixo

 

Processo de Adoção no Brasil

Leia também

timidez na infância

Timidez na infância

Timidez na infância Saiba mais sobre a timidez na infância, aprendendo a lidar com essa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *