Home / cuidados especiais / A atuação dos brinquedos no desenvolvimento infantil

A atuação dos brinquedos no desenvolvimento infantil

Meu nome é Hellen Xavier Manso, sou arquiteta de profissão e blogueira por paixão. Sou mãe do Estêvão de 4 anos, esposa e equilibrista de muitas outras funções. Descrevo minha rotina de integralmente mãe no blog de mesmo nome. E agora compartilho com vocês a minha experiência com o uso de brinquedos no desenvolvimento infantil.

A atuação dos brinquedos no desenvolvimento infantil

Desde criança sempre fui apaixonada por brinquedos, a ponto de coleciona-los e ter um grande zelo por eles. Eram blocos de montar, bonecas tipo Barbie, bonecas bebês e por aí vai. Quando me tornei mãe, voltei à minha infância e em toda loja que avistava um brinquedo já busca todas as informações dele e qual a contribuição do mesmo para a criança. Eu desejava saber a atuação dos brinquedos no desenvolvimento infantil.

E logo meu bebê nasceu, e eu pesquisando e lendo cada vez mais sobre o assunto. E obtive a clara e óbvia resposta (eu não sabia até aquele momento que era) que os brinquedos têm grandes e benéficos impactos no desenvolvimento infantil dos bebês. E mais ainda, há brinquedos específicos por proporcionar determinados estímulos.

Durante a gravidez adquirimos apenas brinquedos decorativos para o quarto, não compramos nada pensando em desenvolvimento infantil. Confesso que só me atentei a isso quando meu filho tinha mais de um mês de vida. E de fato você só vai ver seu bebê se interagindo um pouco mais com qualquer brinquedo após os três meses de vida, salvo raras exceções.

Os brinquedos adequados

Mas isso não significa que até atingir esta idade você não pode provocar estímulos no bebê! Aliás, não sabemos se crianças precoces e algum tipo de desenvolvimento pontual é resultado de grandes estímulos não é mesmo? Gosto da atuação dos brinquedos no desenvolvimento infantil, mas creio que os estímulos devem ser utilizados sem pretensão, ou ainda desejo dos pais para que o filho avance além do mínimo exigido, por exemplo.

Os famosos móbiles e os ginásios são muito bem-vindos quando o bebê não atingiu o terceiro mês de vida. Mas você terá de aguardar seu bebê completar esta idade para levar um brinquedo à boca ou ainda segurá-lo. Após os seis meses de vida da criança você já pode apresentar a ela brinquedos de montar (blocos) ou ainda brinquedos que a estimulem ficar de pé.

Sabe aqueles brinquedos eletrônicos com sons, que ensinam a contar ate dez, ou ainda ensinam muitas palavras ou até mesmo o alfabeto? A partir do primeiro ano de vida do bebê você já pode brincar com ele fazendo uso desses brinquedos. Você vai notar que tudo que você ensina, ele vai absorvendo. Meu filho aos dois anos de idade já sabia reconhecer o número “2”, e ainda dizer a idade que tinha.

Os estímulos não são gratuitos

A atuação dos brinquedos no desenvolvimento infantil é justificada pelas possibilidades de estímulos que eles oferecem. Mas vale lembrar que o brinquedo por si só, não estimula nada nem ninguém. Os pais da criança são os mediadores entre ela e o brinquedo. Resumindo, brinque com seu filho muito, invente, sente no chão, participe das fantasias e faz-de-contas que ele sinaliza. Isso só vai reafirmar o vínculo entre vocês, o que é benéfico para ambos!

Você tem o hábito de brincar com seu filho? Gosta de provocar estímulos os quais ele possa desenvolver alguma habilidade? Conte nos comentários, vamos conversar

 

Leia também…

Timidez na infância

Crianças que não comem na mesa – Saiba a importância de fazer as refeições em família

Leia também

sindrome pé, mão e boca o que é

Síndrome pé, mão e boca o que é

Síndrome pé, mão e boca Saiba mais a respeito da síndrome pé, mão e boca e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *