Home / Tudo sobre gravidez / É possível engravidar amamentando
é possível ficar gravida amamentando ?

É possível engravidar amamentando

É possível engravidar amamentando?

Confira se engravidar amamentando é realmente possível e saiba o que fazer para lidar com a contracepção no período onde estiver ainda alimentando seu bebê.

Uma dúvida muito comum em relação à gravidez para aquelas mulheres que já passaram pela experiência há pouco tempo é o fato de que muitas pessoas questionam se é possível engravidar amamentando.

É preciso entender primeiramente que a amamentação exclusiva pode funcionar como contraceptivo, prevenindo a gravidez em muitas mulheres, mas apenas no período entre os primeiros meses após o nascimento.

Entretanto, quando a amamentação continua além dos meses e ao longo dos primeiros anos do bebê – e uma mãe quer expandir sua família – ela pode querer tentar engravidar enquanto ainda está amamentando.

Você pode engravidar durante a amamentação?

É improvável que uma mãe que esteja amamentando exclusivamente seu bebê no período que compreende os primeiros seis meses, fique grávida.

Após cerca de seis meses, ou uma vez que os sólidos são introduzidos na dieta do bebê, o efeito contraceptivo não pode mais ser garantido e a mãe pode engravidar enquanto ainda está amamentando.

Para algumas mães, o efeito contraceptivo da amamentação pode continuar por mais tempo, especialmente se a amamentação ocorrer pelo menos a cada quatro horas durante o dia e seis horas durante a noite e for oferecida antes que alimentos complementares sejam dados.

Entretanto, é importante saber que exatamente a rapidez com que a fertilidade de uma mãe retorna é única para cada mãe individualmente:

  • A amamentação frequente é um poderoso supressor de fertilidade, como parte de um sistema bem projetado: quando um bebê cresce e a mãe começa a amamentar com menos frequência, é um sinal de que ele finalmente é capaz de compartilhar sua mãe com um irmão mais novo.

Quão confiável é a amamentação como contraceptivo?

A amamentação pode ser uma forma de contracepção bastante confiável nos primeiros seis meses após o nascimento – se a menstruação da mãe ainda não tiver retornado e seu bebê não tiver nada além de leite materno para comer ou beber.

No entanto, uma vez que uma ou mais das afirmações não são mais verdadeiras, a amamentação deixa de ser um contraceptivo confiável.

Quando a menstruação irá retornar?

Muitas mães desfrutam de uma longa pausa do período menstrual durante a amamentação, mas a menstruação pode retornar a qualquer momento a partir de seis meses (ou antes) até o segundo ano após o parto.

  • Exatamente quando essa pausa irá acabar dependerá da intensidade da amamentação, da frequência de mamadas e também da química corporal da mãe.

A ovulação pode acontecer antes da primeira menstruação após o parto e, quanto mais o ciclo da mãe for atrasado, maior a probabilidade de ela ovular antes dessa primeira menstruação, aumentando a probabilidade de ela engravidar amamentando.

Se você está ciente do que procurar, seu corpo irá mostrar sinais de ovulação iminente, tais como seios ou mamilos sensíveis e mudanças no fluido cervical e na temperatura de vigília.

  • É possível encontrar uma série de informações para a manutenção do ciclo e das mudanças em vários métodos contraceptivos de observação.

engravidar amamentando

Se um bebê começar a amamentar intensamente novamente, por exemplo, devido a uma doença, uma mãe cuja menstruação tenha retornado pode perceber que ela parou novamente temporariamente, em alguns casos.

Como a amamentação afeta a fertilidade?

A amamentação influencia os hormônios envolvidos na fertilidade. Mesmo depois que a mãe começa a menstruar novamente, a fertilidade completa pode não retornar imediatamente.

Isso acontece porque os hormônios da amamentação causam um óvulo e um folículo deficientes e uma fase lútea deficientes, e os níveis hormonais na segunda metade do ciclo menstrual são muito baixos para manter uma gravidez.

Níveis mais baixos desse hormônio podem prevenir o desenvolvimento folicular normal que afeta a ovulação, enquanto níveis mais altos de prolactina podem encurtar o tempo após a ovulação até o início do período (conhecido como fase lútea do ciclo).

  • Se a fase lútea é muito curta, pode impedir o desenvolvimento da gravidez, no entanto, algumas mulheres que amamentam ovulam normalmente, apesar da maior prolactina.

Pode haver outras causas de uma fase lútea curta e pode ser útil discutir com seu médico se os suplementos de progesterona podem ser apropriados em sua situação, se você estiver tentando engravidar amamentando.

O retorno da minha menstruação afetará meu suprimento de leite?

A maioria das mães não notará nenhuma mudança no suprimento de leite quando a menstruação retornar.

No entanto, algumas mães notam que seus mamilos são mais sensíveis perto da ovulação ou sentem que seu suprimento de leite cai um pouco no momento da menstruação – o que faz com que o bebê se mexa.

Essas mudanças são de curta duração a cada mês e os sólidos estão lá para compensar a diferença.

Uma dose diária de 500 a 1.000 mg de suplemento de cálcio e magnésio do meio do ciclo nos três primeiros dias do ciclo pode ajudar a minimizar qualquer queda na oferta de leite para engravidar amamentando.

Acompanhe-nos no facebook

Leia Também…

Período Fértil

Secreção Vaginal e fertilidade

Vida sexual da mãe após a chegada do bebê

Por que não consigo perder a barriga após o parto?

Leia também

tampão mucoso final da gravidez

O que é e o que você precisa saber sobre Tampão Mucoso

Tampão Mucoso – O que é e o que você precisa saber! O que acontece …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *