Virose em Crianças - Sintomas e como tratar ? Bebês e Crianças
Home / cuidados especiais / Virose em Crianças

Virose em Crianças

Virose em Crianças

A virose em crianças pode ser provocada por alguns diferentes tipos de vírus – e essa condição pode afetar substancialmente os pequenos. Felizmente a virose é considerada benigna e pode desaparecer em um curto prazo de tempo (em até uma semana, no máximo).

É comum que a criança acabe amanhecendo mais manhosa e indisposta – logo o choro e o estado febril podem se manifestar e a disposição fica bem diferente dos dias normais!

Muitos pais, preocupados, logo resolvem procurar o pediatra da criança e o diagnostico é quase que imediato – virose!

Mas, afinal, o que vem a ser essa tal virose? – segundo grande parte dos especialistas da área, a condição é provocada por alguns vírus, onde os sintomas mais recorrentes são justamente a febre, ausência de apetite, abatimento visível, entre outros.

Entre os sintomas mais comuns, ainda se destacam a irritabilidade, dores de cabeça e até mesmo no corpo, espirros, tosse, vômitos e dependendo do caso já também a manifestação de uma forte diarreia e feridas na região bucal e pele.

Todos esses incômodos podem se manifestar de forma isolada ou em conjunto – e isso na realidade pode variar por conta dos vírus causadores e também dos órgãos que eventualmente tenha sido acometido pelo problema.

Virose em crianças – entendendo melhor como se dá a manifestação dos vírus e quais são os mais comuns!

virose em crianças

Em geral, o vírus mais comum são os chamados “rinovírus”, do resfriado considerado comum. Há também o enterovírus, que é proveniente da gastroenterite aguda, bem como o sincical respiratório (que causa a bronquiolite viral aguda), os vírus da família da herpes vírus (que são associados à varicela ou catapora e gengivoestomatite), e influenza (que também é da gripe).

Por esse motivo as viroses mais recorrentes são as que impactam o sistema respiratório, principalmente se tratando da rinofaringite aguda – também conhecida como o tradicional resfriado.

De acordo com vários pediatras, a febre não se revela com grande intensidade em todos os perfis de doença e nem da mesma forma em todas as pessoas – mas, pode-se dizer que no caso das viroses respiratórias a febre tende a ser mais baixa, não ultrapassando 38º. Ela também pode persistir pelo prazo de cerca de 3 dias, no máximo.

Os pais podem também levar em consideração alguns dados de caráter preliminar, porém, isso não deve jamais dispensar a avaliação e diagnósticos médicos. Nesse caso, é importante sempre avaliar o estado geral que a criança se encontra.

De maneira mais generalizada, crianças que tendem a ser mais bem dispostas e ativas, quando enfermas (principalmente quando apresentam sintomas relacionados à febre) tendem a apresentar um diagnóstico de severidade mais amena.

A temperatura das crianças é um aspecto também muito importante para que os médicos especialistas possam conseguir diferenciar uma efetiva virose de outras doenças que sejam bacterianas ou que sejam mais graves.

Se por ventura o caso foi associado a alguma infecção,    é comum que a febre se mantenha mais elevada e até mesmo contínua – e em alguns casos não cede facilmente sem o uso de antitérmicos.

O melhor caminho é ir para o pronto socorro?

De acordo com alguns especialistas, é preciso saber avaliar bem a situação – isso porque não há muitos motivos para levar a criança de imediato para o pronto atendimento logo que o primeiro sintoma de virose venha a se manifestar.

O mais indicado nesse sentido, é priorizar um atendimento junto ao pediatra que já atende a criança e não recorrer ao serviço de emergência.

Por mais que o caminho mais assertivo pareça – Ir de imediato ao pronto socorro, esses serviços de atendimento devem sempre ser preservados para casos considerados mais graves e urgentes.

Como a procura costuma ser bem maior, é comum que o pediatra que esteja de plantão no momento do atendimento não consiga passar todas as informações necessárias para a família da criança sobre tratar e o que é de fato a virose.

Outro ponto é que é sempre mais interessante seguir na direção de um vinculo mais estreito junto ao médico que já realiza atendimentos de rotina da criança, pois isso agrega mais segurança e tranquilidade para poder lidar com a situação.

Como é o tratamento da virose infantil?

virose em crianças

Como já dissemos anteriormente, a virose é uma condição benigna e seu tratamento consiste em nada mais, nada menos no que no efetivo controle dos sintomas – nesse caso, o uso de antitérmicos ou realização de banhos em caso de febres é sempre o mais adequado.

É importante também manter um maior repouso, mantendo a criança bem hidratada e uma alimentação saudável e mais leve.

Vale salientar que a dieta precisa propor uma digestão mais facilitada, e de preferencia optar por líquidos, como o leite, sopas e também sucos naturais – tudo isso deve e precisa estar de acordo com as orientações passadas pelo médico.

Com amor e cuidados, certamente a virose em crianças passará rapidinho e seu pequeno logo estará pronto para voltar á ativa e animar a casa como sempre!

Leia Também…

 

 

TDAH em Crianças

Dislexia em Crianças

Crianças que roem unhas

Crianças viciadas em celular e tablet

Guia de vacinação infantil

Soro Fisiológico – Bebês e Crianças devem lavar o nariz todos os dias

 

Check Also

estomatite em crianças

Estomatite o que é

Estomatite o que é? A estomatite  é uma doença bastante incômoda que causa imensa dor aos …

One comment

  1. Parabéns pelo artigo, me esclareceu todas as dúvidas sobre virose com crianças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *